domingo, 15 de maio de 2011

Lamento perdido

Queria dizer por meio dessas palavras,

Talvez meio erradas ou mal empregadas,

Pedindo toda paciência e vosso perdão

Sendo eu nada mais que um tosco escrivão,

Pois talvez eu não saiba falar tão bonito,

Talvez meu sussurro saia mais como um grito

Ou quem sabe um clamor incerto, errado

Que tenta ser belo, mas sai desafinado

E dá de poeta sem nem saber rimar

Se esquece das métricas, nem sabe contar

Dizer uns segredos que vi pelo mundo

Mas são proibidas palavras dum vagabundo

E mesmo assim, em poesia rimado

O grito é preso e o julgam culpado

Agora marcado perdeu-se escondido

Chorando desgraças do lamento perdido

E apenas atrás dessas marcas do tempo

Nesses olhos sem endereço, sem documento,

É que podem encontrá-lo apertado e aflito,

O sussurro, o clamor, o segredo, meu grito.

7 comentários:

esther disse...

interessante.

Pedro Pereira disse...

gostou, querida?

Anônimo disse...

Muito bom!

A juventude caxambuense tá saindo melhor que a encomenda.

Devia se dedicar a sonetos.

Parabens pra todos do site.

Pedro Pereira disse...

Agrdecimentos em nome do PROBLEMA SEUS ao senhor (a) pelo elogio. Mas não é só a juventudo caxambuense que o compõe não. Mariana, a autora deste, é de Aiuruoca! =)

Anderson Pereira disse...

O Pedro já fez os agradecimentos e venho para resaltá-los. Muito obrigado a todos que acompanham o blog e fazem questão de deixar um comentário ! E parabéns também a Mariana, pelo belíssimo poema .

Meri disse...

Valeu galera! Como integrante tbm agradeço cada visita, cada comentário e os elogios ao meu poema!É nóis ;)
PS: Melhor dizer Matutu Pereira ;)
Beijo grande

Pedro Pereira disse...

certo. arrumando o meu inscrito acima, "Agradecimentos emk nome do PROBLEMA SEUS ao senhor (a) pelo elogio. Mas não é só a juventudE caxambuense que o compõe não. Mariana, a autora deste, é de Matutu!=)"